Kanye West Contra O Mundo

Kanye West parece a todo o momento irritado, coloca carusa no momento em que está mimoso e seus trinta e seis anos entram umas crises que nem ao menos as moças com a verdura. Começou a produzir outros artistas; mais tarde, ele estreou em carreira solo e conseguiu quase tudo, até 18 prêmios Grammy.

Tudo, menos o respeito que acredita merecer na sua verdadeira paixão: o design de moda. Se ofende com facilidade, quando as revistas especializadas não executam a bola e não sabe como a indústria de panos, não é apto de tomar a sério. Que ousados, lamenta. E ao invés de estudar e receber o reconhecimento com as orelhas mingau, prefere atirar pra matar.

Foi cortado contra Slimane, invadiu com Lady Gaga e foi esbofeteado a Fendi, a assinatura que lhe permitiu fazer uma etapa em suas oficinas. Na semana passada, o cantor concedeu uma entrevista ao DJ e radialista Zane Lowe, e o designer rapper aproveitou a ocasião para desabafar. Depois de imensas colaborações com a Nike, Louis Vuitton e Giuseppe Zanotti, em outubro de 2011, o artista apresentou tua primeira coleção pela semana de moda de Paris. As avaliações foram performance de tomar. Lindsay Lohan no momento em que apresentou tua colaboração pra Ungaro. Christina Benkley no The Wall Street Journal. Eric Wilson The New York Times, pareceu-lhe “turbador” que apresentasse casacos de cabelo e couro pra uma coleção de primavera.

  • Quando sairá , afinal de contas, o pingüim do elevador
  • um Friso / esmagado
  • cinco Demissão de Núñez e chegada de Laporta (2000-2008)
  • Katie Zhan

Mas o mais apropriado foi Lisa Armstrong, The Daily Telegraph: “É como se Karl Lagerfeld, provasse a sorte no hip-hop, um absurdo”. Em março do ano passado West voltou a atracar Paris com tua segunda e última proposta. Desta vez, as considerações foram menos virulentas, uma espécie de progride adequadamente. Em entrevista a BBC Radio um dialogou insuficiente de música e muito da visão de universo do designer rapper, mas alguém se lembrou de Lady Gaga: “Mírala, diretora criativa da Polaroid. E o que os narizes entende ela de câmara?”.

O mesmo que West de suprimir roupas, e se dirão alguns. Ou pelo menos este desconhecimento o deixava claro pela música Niggas in Paris: What’s Gucci, my nigga? What’s Louis, my killa? What’s drugs, my dealer? What’s that jacket, Margiela?

Mas tuas declarações a Zane Lowe parecem um aniversário, quando comparada com a briga que acaba de entrar no Twitter com o comediante Jimmy Kimmel, depois que esse fizesse uma paródia sobre a entrevista. Não é a primeira vez que West se enzarza em disputas supérfluos. Há um mês voltou a armar um escândalo, ao aceitar com quase 3 milhões de dólares por agir no casamento do neto do presidente do Cazaquistão. E tudo por causa de o país de Miseráveis leva anos no ponto de mira das organizações internacionais, como consencuencia da aversão de teu máximo dirigente fazer eleições e exotismos similares.

Depois há aqueles que se vocais de que Barack Obama lhe chamasse “besta”, o rapper no último mês de agosto. É claro que não assimilou nada desde a humilhação pública de Taylor Swift no MTV Video Awards. Longe de se submeter a um checape de consciência, há aqueles que dizem que neste instante planeja teu próximo ataque. Há várias semanas LinkedIn desfruta de 2 postos de trabalho no novo “projeto de moda de Kanye West”, e o prestigiado designer gráfico Peter Saville se lhe escapou que anda preparando o novo logotipo do artista.


Por